Passar para o Conteúdo Principal

logotipo Museu Neorealismo

Querubim Lapa

Querubim lapa 1 1 600 839
02 Mai 2021

Deixou-nos há 5 anos

Querubim Lapa, pintor, desenhador, gravador e um dos mais importantes ceramistas portugueses, nasceu em Portimão em 1925.

Em 1942 muda-se para Lisboa, iniciando os seus estudos artísticos na Escola António Arroio e forma-se em Escultura na Escola Superior de Belas-Artes. A partir de 1948 participou nas exposições dos Independentes no Porto e a partir de 1949 nas Exposições Gerais de Artes Plásticas. Em 1954 inicia a atividade como ceramista na Fábrica Viúva Lamego, em Lisboa, e torna-se professor na António Arroio a partir de 1955. Na década de 60 dedica-se quase exclusivamente à cerâmica, regressando à pintura, sua grande paixão, em meados da década seguinte.

Inicialmente ligado ao movimento neorrealista, fez parte de uma geração que se opôs frontalmente ao Estado Novo. Sobre o seu envolvimento neste movimento afirmou que o neorrealismo era “uma reacção tanto política como artística de um grupo de pessoas que se orgulhavam de ser de esquerda”. Testemunho desta ligação ao movimento neorrealista são as obras que em 2006 doou ao Museu do Neo-Realismo – oito pinturas e um desenho da sua coleção particular, que realizou entre 1945 e 1956.

Os seus painéis cerâmicos, que se espalham sobretudo pela cidade de Lisboa, marcam indelevelmente o espaço urbano e são testemunho da beleza e da presença quotidiana que o artista sempre procurou imprimir às suas obras. Destacamos o painel de azulejos da Reitoria da Universidade de Lisboa, o revestimento exterior e interior da Casa da Sorte, também em Lisboa, dois painéis na Pastelaria Mexicana, o revestimento da estação do metro da Bela Vista e o painel As Meninas e os Meninos na escola com o seu nome, em Campolide.

É também da sua autoria o magnífico painel cerâmico que decora o espaço da cafetaria do Museu do Neo-Realismo, realizado no âmbito da obra projetada pelo Arquiteto Alcino Soutinho e que ligará, para sempre, o seu nome e a sua arte ao Museu do Neo-Realismo.

Faleceu em Lisboa a 2 de maio de 2016.

Querubim Lapa_2  Exposição  Querubim Lapa, Desenhos e Pinturas Neo-Realistas (1945-1964) – na Galeria da Biblioteca Municipal de Vila Franca de Xira (Promovida pela APMNR),2002

Querubim Lapa na Exposição Querubim Lapa, Desenhos e Pinturas Neo-Realistas (1945-1964), na Galeria da Biblioteca Municipal de Vila Franca de Xira (Promovida pela Associação Promotora do Museu do Neo-Realismo), 2002.

Querubim Lapa_4 Descanso,  1952, coleção MNR

Descanso, 1952, coleção MNR.

Querubim Lapa_3 Desespero, 1950, coleção MNR

Desespero, 1950, coleção MNR. 

Querubim Lapa_5 As Carquejeiras, 1953, coleção MNR

As Carquejeiras, 1953, coleção MNR.

Querubim Lapa_6 Pescador e Varina, 1954, coleção MNR

 

Pescador e Varina, 1954, coleção MNR.

Querubim Lapa_7 Painel de azulejos da cafetaria do Museu do Neo-Realismo

Painel de azulejos da cafetaria do Museu do Neo-Realismo.

No âmbito do Ciclo de Cinema Realismos Contemporâneos, o Museu do Neo-Realismo apresentou em janeiro de 2017 o documentário Como se não existisse nada (Querubim e Susana), de Sibila Lind, com a presença da realizadora e de Susana Barros.

“Querubim Lapa já era conhecido como Mestre nos corredores da Escola António Arroio quando Susana apareceu para uma aula de Olaria. Ele tinha 53 anos, ela 17. Estiveram juntos, separaram-se durante 17 anos, voltaram a reencontrar-se. Querubim, reconhecido como o maior ceramista português do séc. XX, encontrou em Susana a principal fonte de inspiração. Na casa de ambos, os quadros, os cadernos e os azulejos que preenchem as divisões têm todos uma coisa em comum: um retrato.”

Querubim Lapa_8

Fontes
http://www.museuartecontemporanea.gov.pt/pt/artistas/ver/53/artists
Museu do Neo-Realismo.