Passar para o Conteúdo Principal

logotipo Museu Neorealismo

Relembrar Rui Mário Gonçalves

Rui mario goncalves 2013 1 600 839
02 Mai 2021

7 anos após a sua morte

Rui Mário Gonçalves, nome incontornável da crítica da arte portuguesa, nasceu em Abragão, Penafiel, a 12 de outubro de 1934. Foi crítico de arte, professor, historiador de arte e ensaísta.

Licenciado em Ciências Físico-Químicas pela Universidade de Lisboa, desde muito cedo se interessou pelas artes plásticas. Entre 1963 e 1966 foi bolseiro Fundação Calouste Gulbenkian em Paris, onde estudou com Pierre Francastel. Foi membro do Conselho Técnico da Cooperativa Gravura, vice-presidente da Sociedade Nacional de Belas Artes e presidente da secção portuguesa da Associação Internacional dos Críticos de Arte.

Lecionou no Curso de Formação Artística da Sociedade Nacional de Belas Artes entre 1967 e 1986. Entre 1972 e 1977 foi professor da Escola de Teatro e da Escola de Cinema do Conservatório Nacional. A partir de 1974 foi professor convidado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Desenvolveu inúmeras atividades de promoção e divulgação das artes plásticas, nomeadamente exposições de arte moderna, elaboração de catálogos, tradução de obras de historiadores de arte, conferências e colóquios e colaboração em vários jornais e revistas da especialidade, rádio e televisão.

Colaborou em vários dicionários e enciclopédias, dos quais se destaca a História da Arte em Portugal, onde redigiu dois dos seus volumes. É autor de vários livros de História de Arte e monografias sobre pintores portugueses, nomeadamente Pintura e Escultura em Portugal, 1940-1980 (1980), O Imaginário da Cidade de Lisboa (1985), Dez Anos de Artes Plásticas e Arquitectura, 1974-84 (em colaboração com Francisco da Silva Dias, 1985), O Fantástico na Arte Portuguesa Contemporânea (1986), Pioneiros da Modernidade (1986), De 1945 à Actualidade (1986), Cem Pintores Portugueses do Século XX (1986), Arte Portuguesa em 1992 (1992), Arte Portuguesa nos Anos 50 (1996), O Que Há de Português na Arte Moderna Portuguesa (1998), A Arte Portuguesa do Século XX (1998), Vontade de Mudança (2004), António Dacosta (1983), Almada Negreiros (2005), Amadeo de Souza Cardoso (2006), Cruzeiro Seixas (2007).

Faleceu em Lisboa a 2 de maio de 2014, quando estava patente no Museu do Neo-Realismo a Exposição Pintor Nuno San-Payo - Exposição Antológica, da qual foi curador.

Rui Mário Gonçalves_2Inauguração expo Nuno San-Payo_19 out 2013 (9)

Inauguração da Exposição Pintor Nuno San-Payo - Exposição Antológica, Museu do Neo-Realismo, 2013. David Santos, Alberto Mesquita, Maria da Luz Rosinha, Nuno San-Payo e Rui Mário Gonçalves.

Fontes
Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, Vol. VI, Lisboa, 1999
http://www.centromariodionisio.org/biografia_rui_m_goncalves.php