Passar para o Conteúdo Principal

logotipo Museu Neorealismo

Dia Mundial da Poesia 2016

Convite1 1 600 839
21 Mar 2016

Vozes Femininas do Neorrealismo: Manuela Porto e Maria Barroso

VOZES FEMININAS DO NEORREALISMO
8ª EDIÇÃO DAS COMEMORAÇÕES
DO DIA MUNDIAL DA POESIA NO MUSEU DO NEO-REALISMO

LIVRARIA
Apresentação em destaque onde consta o envolvimento de duas figuras incontornáveis da nossa História que disseram poesia, numa época em que esta era uma forma de luta com caráter social e político contra a ditadura que governava o país, Maria Barroso e Manuela Porto.
Maria Barroso: recortes de imprensa da época e capa do vinil (single) da primeira série consagrada à poesia do “Novo Cancioneiro” e aos poetas de tendência neorrealista com dedicatória de Carlos de Oliveira.
Manuela Porto: Ode Marítima de Álvaro de Campos e exemplar do periódico “O Diabo”.
Audição do cd fac-simile da coletânea “Novo Cancioneiro” com poesia dita por Maria Barroso.
Horário: A decorrer no dia de 21 de Março.

AUDITÓRIO
Manuela Porto e Maria Barroso: um recital de poesia reconstruído

Entre 1946 e 1950, Manuela Porto (a primeira grande declamadora de poesia em Portugal, de que infelizmente não se conhecem gravações) e Maria Barroso (extraordinária declamadora de poesia e interveniente na luta pela democracia em Portugal), realizaram em conjunto alguns recitais de poesia. Esses recitais eram muitas vezes precedidos por uma conferência que enquadrava e explicava os poemas que se iriam escutar. Incluíam também, a meio, uma parte musical em que se executavam, e por vezes se explicavam, peças de compositores da época.

É, à semelhança desses recitais, que 70 anos volvidos se apresenta uma performance reconstrutiva de um desses recitais de poesia e música. Com conferência inicial pelo professor José Geraldo que apresentará o recital, duas atrizes, Helena Faria e Teresa Faria que vão dar novamente voz a alguns desses poemas, intercalados pela música da harpa de Filipa Taipina.

Duração: 75 minutos
Horário: 15h30