Passar para o Conteúdo Principal

logotipo Museu Neorealismo

João José Cochofel

[N. Coimbra, 1919 – M. Lisboa, 1982]

imagemJoão José de Mello Cochofel Aires de Campos, poeta, ensaísta, crítico literário e musical, nasceu em Coimbra em 17 de Julho de 1919.

Licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas, pela Faculdade de Letras de Coimbra, tendo integrando o movimento neo-realista coimbrão.
Foi um dos organizadores do "Novo Cancioneiro", podendo ser considerado o responsável pela valorização de algumas das melhores obras do grupo de escritores a que pertenceu.
Colaborou em várias revistas, como “Altitude”, “Cadernos do Meio-Dia”, “Vértice”, “Presença”, “Seara Nova”, entre outras, não só como poeta mas também como crítico literário e musical. Foi director da Academia dos Amadores de Música de Lisboa e da Sociedade Portuguesa de Escritores.
Dirigiu desde o início da sua publicação, em 1971, até à altura da sua morte, o “Grande Dicionário da Literatura Portuguesa e da Teoria Literária” que, infelizmente, não concluiu. A sua poesia de grande lirismo aflora temas como a natureza e o mundo social.
João José Cochofel, morre em Lisboa, em 14 de Março de 1982.

Obras:

Instantes, 1937;
Búzio, 1940;
Sol de Agosto, 1941;
Descoberta (colectânea dos três livros anteriores e alguns inéditos), 1945;
Os Dias Íntimos, 1950;
Iniciação Estética, 1958;
Quatro Andamentos, 1966;
46º Aniversário (contendo os livros anteriores e o “Emigrante Clandestino”), 1966;
Uma Rosa no Tempo, 1970;
O Bispo de Pedra, 1975;
Críticas e Crónicas, 1982