Passar para o Conteúdo Principal

logotipo Museu Neorealismo

José Carlos Ary dos Santos

[N. Lisboa, 1937 – M. Lisboa, 1984]

imagemPoeta.

Sem formação universitária, e tendo saído de casa da família aos 16 anos, exerceu várias actividades, entre as quais a publicidade, em que se destacou e em cujo meio encontrou vários escritores neo-realistas.
Participou activamente, nomeadamente declamando poesia, nas eleições para a Assembleia Nacional em 1969.
Autor de poemas para canções do Concurso da Canção da RTP, que venceu duas vezes, deixou cerca de 600 textos para canções.
Gravou vários discos com poemas seus e alheios.

 

Obras:

Asas, 1953 (que rejeitaria);
Azul existe, 1965;
Tempo de Lenda das Amendoeiras, 1965;
Adereços, Endereços, 1965;
Insofrimento In Sofrimento, 1969;
Fotos-Grafias, 1961; Resumo, 1973;
As Portas que Abril Abriu, 1975;
O Sangue das Palavras, 1979;
20 Anos de Poesia, 1983;
Obra Poética, 1994.