Passar para o Conteúdo Principal

logotipo Museu Neorealismo

Domingos Lobo - A pele das Sombras

Domingos lobo   a pele das sombras2 1 600 839
12 Jun 2016
Preço:
6,00 €

“Nesta colectânea de poemas de Domingos Lobo encontra-se uma dúvida no poeta. "Em Actos do Olhar" (pág.45): «esta mesa é azul / porque o azul é mais belo / que a cor indefinida / a cor visível a cor física da mesa» diz que «nunca aprendi a decifrar as cores», pois o azul, segundo o "Dicionário dos Símbolos", de Jean Chevalier e Alain Gheerbrant (ed. Círculo dos Leitores; Lx, Junho de 1997), «…é a mais profunda das cores: nele o olhar penetra sem encontrar qualquer obstáculo e perde-se no infinito, como que perante uma perpétua fuga da cor.» Por isso, o azul é a mais imaterial das cores. Aplicada à mesa azul a cor suaviza, abre e desfaz as formas. Uma mesa pintada de azul deixa de ser uma mesa, «esvai-se nela como uma ave no céu.», porque se confundem na cor e na matéria.
Para o poeta o seu maior defeito é teimar em realizar-se onde a realização não é possível; a de nascer português e não saber ser outra coisa, pois como Aquilino Ribeiro viu um dia: a nossa língua é um mausoléu sumptuoso onde quem lá cai fica para a eternidade. Ainda bem para as letras portuguesas.”
Alfredo Vieira